Casa da Fada Azul

Na casa da Fada Azul tem sempre biscoitos de gengibre, mel e canela, assando no forno!
Perfume de flores por toda parte...
Na casa da Fada Azul ouve-se risos de crianças, o cantar dos passarinhos e música suave, com flautas e sinos!

Sejam bem-vindos à casa da Fada Azul!


Em homenagem aos meus filhos, Dhayaram e Suraj, que amam fadas, principalmente a Fada Azul!

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Quando as crianças escolhem o momento de ritualizar!








Levei meus dois filhos a uma praça onde moro, onde tem espaço pra correr e brincar.

No meio da praça tem uma escultura de uma mulher com um vaso em mãos, a qual meu filho mais velho, Dhayaram, chama de Deusa.

Descemos a longa escadaria e ficamos próximos a uma árvore que é diferente:
Ela creceu na diagonal, porém, ha uns 1,20cm ela se partiu e continuou a crecer, na vertical!



Meu filho passou por baixo dela e disse que era um portal.



Me chamou e eu também passei, assim como meu caçula, Suraj.

Peguei uma varinha, que estava no chão e, os dois, subtamente, pegaram, cada um, uma varinha.

Fomos caminhando em silencio, até que Dhayaram disse que ali era a nossa floresta mágica!

Continuamos a observar todo o local e vi uma grande árvore, bem antiga, que se destacava por seu tronco todo enrrugado.



Tocamos nela, os três ali, agachados, apenas sentindo a árvore.

Senti vontade de cantar e não resisti.

O mantra se repetiu em minha mente e depois em minha voz:

MAAAAAAA

Suraj se abaixou ao meu lado e cantou comigo, enquanto Dhayaram olhava atentamente uma borboleta preta com pintas azuis, no alto da Grande Árvore.

Então outro som:

LUUUUNAAAAA MAAAAA

Os sons foram se misturando:

A minha voz, a do meu filho caçula, do vento, que então soprou mais forte, e dos pássaros que antes matinham-se calados ( a nos observar?).

Levantamos, assim como o som das nossas vozes aumentaram e tornaram-se mais firmes e decididas do que estavam fazendo.

Dançamos em círculo ao redor da Grande Árvore.

Rimos, pulamos, cantamos, brincamos!
Então nosso ritmo, gradativamente, diminuiu, e nos abaixamos novamente.

Toquei a terra e assim eles o fizeram.

Agradeci a Grande Mãe e eles se mantinham em silencio, ouvindo e respeitando...

Deixamos as varinhas ali, aos pés Dela, da Grande Árvore.

E voltamos através do portal.

Assim que fizemos isso, apareceram outras pessoas, que ali não estavam, nada viram, não escutaram nossas vozes e sequer perguntaram o que fazíamos.

Tenho a certeza de que o portal nos levou a nossa floresta mágica onde somente quem
passa pelo portal, com o coração aberto, entra nesse mundo paralelo!

Próximo a esse local tem o Rio das Almas, que passa pela cidade!



Obs: Dhayaram tem 4 anos e Suraj tem 2 anos e meio. Vou voltar à praça e postar as fotos da Árvore, etc.

2 comentários:

Mulher de fases disse...

Deve ter sido uma experiência emocionante!Nossos filhotes são mesmo um presente não acha?bjos mágicos!Já pegou o selinho?

Laura disse...

Realmente. Nossos filhos são jóias mágicas. A Sofia vive conversando com o Dragao que mora na escola. E também com o Dragão do telhado, que é nosso protetor familiar....